INQUIETAÇÕES
28/04/2021 - 14:12
Auto: /

Boa parte da população mundial neste momento tem uma única preocupação - saber se após o isolamento social a que somos obrigados a manter por causa desse terrível vírus que mata, as relações sociais serão as mesmas ou se sofrerão mudanças importantes.

O mundo nunca mais será o mesmo, dizem alguns.

Já passamos por varias pandemias e epidemias no passado e muito pouco mudou em nossos hábitos sociais.

Na verdade estamos trancados em casa, mas os entregadores de mercado, farmácias, alimentos, serviçais, continuam seus trabalhos normalmente.

Utilizam os meios de transportes coletivos sempre superlotados, um colado ao outro, a maioria sem máscara.

Porque privar essa classe trabalhadora que não pode ficar em casa, das suas festas em família e amigos? Os ricos viajam pelo Brasil e para o exterior em seus jatos particulares, ou passeiam em seus enormes iates de luxo.

Todos estamos no mesmo barco com relação à pandemia, e essa discrepância me cheira à hipocrisia e mentira, pois que, entre outras coisas, favorece o acirramento das diferenças sociais.

Basta visitar hospitais e constatar aquilo que falo.

Depois de alguns meses da erradicação dessa maldita doença, os antigos hábitos sociais de convivência voltarão a ser novamente incorporados?

Acredito que ficarão como sequelas da pandemia o hábito de usar máscaras e o trabalho à distância, causando mais desempregos.

O brasileiro tem memória curta, e até a vacinação deverá ficar como herança, pelo menos por algum tempo.

Nunca uma pandemia ocupou espaço tão grande na mídia! O pior que poderia acontecer para apavorar a população e transformar essa doença, que ninguém conhece, em arma política.

Daqui a dois dias vou tomar a segunda dose da vacina AstraZenica de Oxford, aguardar catorze dias e, com a ilusão da imunidade ,chamar o cabelereiro para cortar meus compridos cabelos do isolamento.

E as inquietações e insegurança permanecerão por quanto tempo?

Muita água ainda passará debaixo da ponte até que o mistério deste vírus seja esclarecido, que, segundo alguns, está na sua terceira onda.

Acredito que a ciência médica nos dará, não sei quando, a explicação definitiva para nossas inquietações.

 

Gabriel Novis Neves

26-04-2021
 

FONTE: https://bar-do-bugre.blogspot.com/2021/04/inquietacoes.html
EDIÇÃO: REPRODUÇÃO